Zikagames - Início Ir para conteúdo
keyboard_arrow_down
account_circle Entrar

Entrar



  • Não recomendado para computadores públicos


  • Esqueceu sua senha?

person_add Cadastre-se

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''justiça''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Anúncios e novidades
    • Regras
    • Anúncios
    • Entre para a equipe Zikagames!
  • Eventos Exclusivos - Zikagames
    • Bolão do Brasileirão!
    • Sorteios Zikagames!
    • Membro do mês - Zikagames!
    • Outros eventos
  • Parceiros da Zikagames!
    • TZN SHOW!
    • Athens Graphics - Discord
    • Autism - Discord
  • Espaço do usuário
    • Apresente-se para a Zikagames!
    • Tutoriais Zikagames
    • Suporte ao usuário
    • Sugestões/Reclamações
  • FPS Zone
    • Fortnite
    • PUBG
    • CS:GO
    • Apex Legends
    • CrossFire
    • Rainbow Six
    • Outros FPS games
    • Lixeira
  • RPG/MOBA zone
    • League of Legends
    • Tibia
    • World of Warcraft
    • WYD
    • Ragnarok
    • Grand Theft Auto - GTA
    • Red Dead Redemption 2
    • Outros RPGs/MOBA em geral
    • Lixeira
  • Plataformas
    • Xbox
    • Playstation
    • iOS/Android/Portáteis
    • Retrô/Emuladores
    • Lixeira
  • Design Zone
    • Galeria DesignZone
    • Tutoriais DesignZone
    • Recursos DesignZone
    • Pedidos DesignZone
    • Suporte DesignZone
    • Bate-papo DesignZone
    • Lixeira
  • Info ZONE
    • Softwares
    • Hardwares
    • Delphi
    • Visual Basic
    • C / C++
    • JAVA
    • Javascript
    • Desenvolvimento web
    • Criações InfoZone
    • Lixeira
  • Comércio ZikaGames
    • Promoções
    • Cupons
    • Doação/Venda/Troca entre usuários
    • Bate-papo (COMÉRCIO ZG)
    • Lixeira
  • Diversos
    • Bate-papo geral
    • Entrevistas
    • Trackers
    • Análises e Reviews
    • Notícias e Novidades
    • Músicas/Vídeos
    • Lixeira

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre


Discord


Instagram


Facebook


Twitter


Youtube

Encontrado 2 registros

  1. Justiça proíbe artistas de rua no metrô, barcas e trem após diligência de Flávio Bolsonaro O TR-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) aprovou inconstitucional a Lei Estadual 8120/2018, que regulamentava performances artísticas em estações de barcas, trem e metrô. A decisão foi divulgada nesta segunda-feira, após uma ação movida pelo então deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL). "A cada um cabe escolher, de acordo com os seus valores e convicções, que tipo de arte e em que momento pretende assisti-la, não sendo razoável ou proporcional qualquer imposição, haja vista a possibilidade de simplesmente pretender exercer seu direito ao sossego, o que não é possível, diante da exposição a gritarias e ruídos estridentes de aparelhos musicais" - Disse Heleno Ribeiro, do Órgão especial do TR-RJ. Movida desde outubro por Flávio Bolsonaro, a ação direta de inconstitucionalidade questionava o fato da lei 8120/2018 estabelecer novas obrigações para as concessionárias responsáveis pelos serviços de transporte público no estado. De acordo com o parlamentar, apresentações de artistas de rua nos veículos poderiam representar risco para segurança e o bem-estar dos passageiros. A lei 8120/2018 proíbe que os artistas cobrem cachê dos usuários, mas permite que recolham doações espontâneas. Além disso, determina que as empresas responsáveis pela gestão desses transportes criem um cadastro de artistas que já trabalham ou queiram se apresentar. Entretanto, esse cadastro tem apenas a função de organizar o horário das exibições, não sendo permitido impedir que pessoas não cadastrados trabalhem. Uma pesquisa feita em março de 2018 pelo Ibope, encomendada pelo MetrôRio, apontou que 66% dos usuários do transporte prefere que as apresentações sejam feitas apenas nas estações. Fonte: @MaeveTexto, formatação & Imagem O Globo G1
  2. SÃO PAULO — O comediante e apresentador Danilo Gentili foi condenado a sei meses e 28 dias de prisão , em regime semiaberto, por ter ofendido a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS). A condenação por injúria foi proferida na quarta-feira pela juíza federal Maria Isabel do Prado, da 5ª Vara Federal Criminal de São Paulo. Logo após a decisão, o apresentador tratou o assunto com ironia: Para Maria do Rosário, a condenação do humorista “deve ser lida como uma convocação à sociedade para retomar o respeito, o bom senso no debate público, nas redes sociais e na vida”. A afirmação foi compartilhada nas redes sociais da parlamentar. O caso se arrasta desde 2016. Em março daquele ano, o comediante publicou uma sequência de tweets em que chamava a parlamentar de “falsa” e “nojenta”. Maria do Rosário lhe enviou uma ordem extra-judicial, pedindo que as mensagens fossem apagadas. Como resposta, Gentili gravou um vídeo em que aparecia rasgando o documento, e esfregando o papel nas partes íntimas. “Tal postura deixou absolutamente clara a real intenção de injuriar, ou seja, a ideia de gravar o deplorável vídeo doméstico teve caráter de resposta em retaliação contra a manifestação da vítima, não devendo jamais ser confundido como uma simples peça humorística espontaneamente criada independente do intuito de injuriar”, escreveu a juíza na sentença. Segundo a defesa do comediante, o vídeo era uma peça de humor, que não tinha a intenção de ofender a honra da parlamentar. De acordo com o Código Penal brasileiro, penas iguais ou inferiores a quatro anos de detenção, no caso de o réu não ser reincidente, podem ser cumpridas em regime aberto. Na sentença, no entanto, a juíza Maria Isabel diz entender que “modalidade menos severa para o cumprimento da pena se mostra insuficiente e inadequada à repressão do delito”, por isso a opção pelo semiaberto. A condenação de Gentili gerou manifestações de solidariedade do presidente Jair Bolsonaro e de seus filhos. Pelo Twitter, Bolsonaro disse que se solidariza com o apresentador que “ao exercer seu direito de livre expressão e sua profissão, da qual, por vezes, eu mesmo sou alvo, mas compreendo que são piadas e faz parte do jogo, algo que infelizmente vale para uns e não para outros”. Para o senador Flávio Bolsonaro, as piadas de Gentili “fazem parte do jogo democrático”. Outras personalidades e comediantes também saíram em defesa do apresentador. Pelo Twitter, Fábio Porchat afirmou que considera o vídeo de Gentili de “péssimo gosto, agressivo e desrespeitoso”, mas fez uma ressalva: "Daí ele ser preso por mandar uma pessoa enfiar um papel no c*, acho bastante autoritário e arbitrário, perigoso inclusive”, afirmou. A opinião foi compartilhada por Gregório Duvivier, para o qual as cadeias “já estão lotadas de inocentes. Liberdade pra todos os q não põem em risco a vida de ninguém. Lula, Danilo, Nem da Rocinha”. O caso traz novamente à tona a questão de quais os limites da liberdade de expressão, e do “politicamente correto”, no humor. Segundo a professora Nara Lya Cabral, pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP), a discussão é relativamente nova no Brasil: é a partir dos anos 1990 que ganham destaque os processos judiciais que tentam coibir manifestações ofensivas a grupos minoritários, como negros e homossexuais. O debate toma novo fôlego com a ascensão de humoristas — como o próprio Gentili — identificados como “politicamente incorretos” por volta do final dos anos 2000. Com o tempo, diz Nara, o limite do aceitável mudou. Mas nem sempre a fronteira é clara: Nos casos em que o limite é mais nebuloso, conta Nara, as reações do judiciário variam segundo o contexto histórico e a cultura: Créditos ao Jornal O Globo!




×