Zikagames - Início Ir para conteúdo
keyboard_arrow_down
account_circle Entrar

Entrar



  • Não recomendado para computadores públicos


  • Esqueceu sua senha?

person_add Cadastre-se

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''dos''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Anúncios e novidades
    • Regras
    • Anúncios
    • Entre para a equipe Zikagames!
  • Eventos Exclusivos - Zikagames
    • Bolão do Brasileirão!
    • Sorteios Zikagames!
    • Membro do mês - Zikagames!
    • Outros eventos
  • Parceiros da Zikagames!
    • TZN SHOW!
    • Athens Graphics - Discord
    • Autism - Discord
  • Espaço do usuário
    • Apresente-se para a Zikagames!
    • Tutoriais Zikagames
    • Suporte ao usuário
    • Sugestões/Reclamações
  • FPS Zone
    • Fortnite
    • PUBG
    • CS:GO
    • Apex Legends
    • CrossFire
    • Rainbow Six
    • Outros FPS games
    • Lixeira
  • RPG/MOBA zone
    • League of Legends
    • Tibia
    • World of Warcraft
    • WYD
    • Ragnarok
    • Grand Theft Auto - GTA
    • Red Dead Redemption 2
    • Outros RPGs/MOBA em geral
    • Lixeira
  • Plataformas
    • Xbox
    • Playstation
    • iOS/Android/Portáteis
    • Retrô/Emuladores
    • Lixeira
  • Design Zone
    • Galeria DesignZone
    • Tutoriais DesignZone
    • Recursos DesignZone
    • Pedidos DesignZone
    • Suporte DesignZone
    • Bate-papo DesignZone
    • Lixeira
  • Info ZONE
    • Softwares
    • Hardwares
    • Delphi
    • Visual Basic
    • C / C++
    • JAVA
    • Javascript
    • Desenvolvimento web
    • Criações InfoZone
    • Lixeira
  • Comércio ZikaGames
    • Promoções
    • Cupons
    • Doação/Venda/Troca entre usuários
    • Bate-papo (COMÉRCIO ZG)
    • Lixeira
  • Diversos
    • Bate-papo geral
    • Entrevistas
    • Trackers
    • Análises e Reviews
    • Notícias e Novidades
    • Músicas/Vídeos
    • Lixeira

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre


Discord


Instagram


Facebook


Twitter


Youtube

Encontrado 18 registros

  1. Boa notícia para os jogadores de videogame: tudo indica que a CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) poderá votar nesta quarta-feira (3) uma proposta de emenda à constituição (PEC) que irá acabar com os impostos sobre jogos eletrônicos. A proposta, que recebe o nome oficial de PEC 51/2017, foi elaborada pela senadora Marta Suplicy e tem como objetivo incluir os jogos de videogame (tanto físicos quanto digitais) na lista de produtos culturais que possuem isenção tributária — a mesma onde hoje já estão incluídas hoje obras como livros e CDs de música. A possibilidade de votação foi confirmada pelo próprio Senado Federal, que usou seu perfil no Facebook para lembrar seus seguidores sobre a PEC. De acordo com a descrição do documento, a aprovação da medida é a única forma de promover uma mudança real da tributação do segmento, que atualmente paga a mesma tributação dispensada para jogos de azar (cerca de 70% do valor do produto). Como a votação é apenas uma possibilidade — a PEC ainda não foi aprovada, e sempre há a possibilidade de ela acabar nem sendo votada no fim das contas —, não é possível saber como essa mudança tributária irá afetar o setor no país, mas caso aconteça possivelmente será de forma positiva para ambas as partes — tanto para os consumidores quanto para os desenvolvedores nacionais. Fonte: Facebook
  2. Um novo rumor sobre GTA 6, próximo game da famosa série da Rockstar, dá conta de que o jogo pode se passar no Brasil, durante os anos 70 e 80, mostrando o tráfico de drogas dentro da América Latina, entre outros elementos locais. O rumor apareceu primeiro no Reddit, onde o autor da postagem alega ter obtido informações internas sobre o desenvolvimento do game – que ainda não foi anunciado pelo estúdio e nem mesmo confirmado em qualquer sentido. Ele diz ainda que o lançamento seria apenas no PS5 e Xbox Scarlett, e que a ambientação seria inspirada pelo seriado Narcos, da Netflix. Ainda de acordo com os rumores, o novo jogo usará a já conhecida Vice City como cenário, mas que terá uma boa parte de seu conteúdo situado em uma cidade fictícia e inspirada no Rio de Janeiro. O realismo será um ponto forte dentro da aventura, mas não tanto quanto o que foi visto em Red Dead Redemption 2. Segundo o rumor, o protagonista se chama Ricardo, que tem como objetivo na vida de se tornar um grande traficante de drogas. Além disso, o game tem o codinome de desenvolvimento de Project Americas, reforçando a ideia de que ele se passaria na América Latina e América do Norte, em diversos momentos. O autor da mensagem também diz que o título está em desenvolvimento desde 2012, mas que a equipe da Rockstar está mais focada no projeto agora, após a conclusão de Red Dead Redemption 2, que chegou ao mercado no fim de 2018. A Rockstar não se pronunciou a respeito, mas, como todo rumor, é bom esperar algum tipo de confirmação antes de levar em consideração. Via Gamesradar
  3. O jogo League of Legends (LoL) está bloqueado no Irã e na Síria desde o último fim de semana. Segundo o site Dot Esports, a medida faz parte de uma série de sanções estabelecidas pelo governo dos Estados Unidos de Donald Trump aos países asiáticos. As regiões viram suas relações estremecerem depois que um drone norte-americano foi derrubado pelo Irã na última quinta-feria (20). O TechTudo entrou em contato com a Riot Games, que se pronunciou sobre o caso. "Como uma empresa com sede nos Estados Unidos, a Riot Games deve cumprir as sanções impostas pelo governo norte-americano. Em caso de mudanças futuras, os jogadores desses países serão bem-vindos de volta ao Rift", informou a desenvolvedora. A declaração complementa a mensagem que está sendo exibida para os jogadores que tentam acessar o game nas localidades bloqueadas. Players iranianos e sírios comentaram a respeito da situação no Twitter, Reddit e no fórum oficial do League of Legends. Em alguns relatos foi compartilhada uma imagem que mostra a mensagem recebida pelo jogador ao tentar acessar o game. Conflito político A relação entre Estados Unidos e Irã está estremecida desde a saída dos EUA do acordo nuclear com o país asiático em 2018. A situação piorou depois que um drone americano foi derrubado na última quinta-feira (20) no território iraniano. Os asiáticos alegam que fizeram o ataque, pois o avião não tripulado estava sobrevoando o país, enquanto os norte-americanos dizem que ele sobrevoava águas internacionais. Depois do acontecido, o governo dos EUA estabeleceu uma série de sanções ao Irã. A Síria acabou sendo envolvida devido no caso às suas relações com o Irã. O League of Legends foi bloqueado, pois, embora gratuito, conta com microtransações, que foram diretamente afetadas no bloqueio norte-americano. Via Dot Esports, Polygon, Comicbook e PCGamer
  4. A terceira geração de processadores Ryzen já é realidade. Com arquitetura Zen 2 de 7 nanômetros, a AMDrecuperou a liderança tecnológica em processos de manufatura e passou a frente da Intel pela primeira vez em mais de uma década. O melhor é que o salto tecnológico veio junto a promessas de desempenho superior, maior eficiência, preços competitivos em relação à concorrência. Além disso, a AMD adotou novas tecnologias, como o design em chiplets e suporte às interfaces PCIe de quarta geração. A nova linha Ryzen de processadores da AMD deve entrar em comercialização no próximo dia 7 de julho nos Estados Unidos. Por enquanto, não há previsão de lançamento e preço no Brasil. A seguir, conheça mais detalhes sobre as CPUs Ryzen 3000. O novo Zen Dentro de cada processador Ryzen da AMD – não importa a geração – há núcleos de uma arquitetura chamada de Zen. A diferença das novas CPUs é que o design amadureceu nos últimos anos, ganhando recursos e mais eficiência: os núcleos Zen 2 são mais rápidos, gastam menos energia e permitem acesso a novas tecnologias. Em meio a isso tudo, o salto em eficiência, que é expressivo, talvez seja o mais importante. Os ganhos de performance dos chips de terceira geração da AMD podem ser colocados na conta da migração de um processo de manufatura de 14 nanômetros para os 7 nanômetros (um nanômetro equivale a um bilionésimo de um metro). Nessa escala tão diminuta, a AMD consegue agregar mais componentes dentro da área do chip, diminuindo valores de consumo de energia e de dissipação de calor a margens. Essa característica, pela primeira vez em muitos anos, torna os processadores da marca tecnologicamente mais avançados do que os rivais da Intel. Os ganhos de eficiência podem estar relacionados diretamente aos valores de TDP dos processadores. Uma das surpresas nesse quesito é o Ryzen 7 3700X: o novo octa-core da AMD dissipa apenas 65 watts, valor bem abaixo do que é comum entre CPUs de oito núcleos para PCs top de linha. Outro diferencial relevante da nova linha de processadores da AMD é o uso do design com os chamados chiplets: o processador é dividido em um pacote que separa, de um lado, os núcleos de processamento e, do outro, as estruturas de controle de entrada e saída de dados do chip. Nascido nas CPUs para servidores, esse design pode ser o responsável por outro destaque da AMD na guerra contra a Intel: o preço. A emprese surpreendeu a todos não apenas com a promessa de desempenho equivalente ou melhor do que os produtos da Intel, mas também por conta de preços que chegam a ser 50% mais baratos do que processadores rivais. Performance e novas tecnologias Durante o anúncio dos processadores, a CEO da AMD, Lisa Su, apresentou alguns comparativos de performance com relação a rivais diretos da Intel. No entanto, vale ressaltar que aferições reais de performance só serão possíveis quando os Ryzen de terceira geração chegarem ao consumidor no mês de julho. Dito isso, o embate mais impactante foi entre o novo Ryzen 9 3900X contra o top de linha Core i9 9900K. Uma comparação de performance obtido via Cinebench – software de benchmark popular entre PCs – mostrou resultados de 2.040 pontos para o i9 e 2.057 pontos para o Ryzen 9. A diferença em si não chega a ser gritante, mas o destaque é que o Ryzen entrega tudo isso com a promessa de custar menos da metade: a AMD prometeu que o processador top de linha terá preço de US$ 499 (cerca de R$ 1.989, em conversão direta), valor consideravelmente mais baixo do que os US$ 1.189 (aproximadamente R$ 4.740) cobrados pela Intel no i9, considerando o mercado norte-americano. A Advanced Micro Devices também deu uma ideia de como seus novos Ryzen se comparam com os modelos anteriores. Segundo a empresa, o salto para a arquitetura Zen 2 de 7 nanômetros rende ganhos de desempenho 15% superior para os novos chips, quando comparados com seus antecessores diretos. Os novos processadores também trazem novas tecnologias. O maior destaque é o suporte aos barramentos PCI Express 4.0, com promessa de ganhos de largura de banda entre sistema e periféricos da ordem de 50%. Compatibilidade Quando lançou os Ryzen, a AMD prometeu que acabaria com a confusão de plataformas que imperava entre suas linhas de processadores: APUs e processadores chegaram a conviver com três soquetes diferentes no mercado, situação é ruim para o consumidor, que perde a capacidade de planejar upgrades incrementais. Essa situação mudou com as CPUs Ryzen, que chegaram às prateleiras compatíveis com o soquete AM4 e promessa de que a plataforma resistiria por algumas gerações, permitindo que o consumidor, em tese, usasse a mesma placa-mãe comprada em 2016 em um processador lançado em 2019, por exemplo. A boa notícia é que a AMD cumpriu a promessa: os Ryzen 3000 utilizam placas com soquete AM4 e, a princípio, a placa-mãe de três anos atrás irá funcionar com os novos processadores. A única questão, no entanto, é que alguns modelos – especialmente os que usam chipsets de entrada – podem não ser compatíveis. Se você usa uma placa com B350 ou X370, deve antes consultar a fabricante para descobrir se há compatibilidade com o seu modelo por meio de atualização de BIOS. Placas com chipset A320 – o mais simples da AMD – não são suportadas pelos novos Ryzen. Disponibilidade De acordo com a AMD, os primeiros Ryzen 3000 chegam ao consumidor no próximo dia 7 de julho, no mercado internacional. Por enquanto, ainda não há previsão de lançamento e preços dos processadores no Brasil. Via AMD (1 e 2)
  5. O ranking da HLTV busca listar os times com os melhores resultados do cenário competitivo de Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO). Para fazer essa listagem de equipes e definir suas posições, o site considera diversos fatores, distribui pontos e leva em consideração os jogos mais recentes, diminuindo aos poucos o impacto de títulos passados. O ranking é atualizado frequentemente e virou referência internacional para o competitivo do game. Confira, a seguir, mais detalhes sobre o ranking da HLTV e como ele funciona. O que é? A HLTV é um dos maiores portais do cenário competitivo de CS:GO no mundo. Seu ranking é a principal forma de verificar as equipes com as melhores atuações recentes em competições de todos os níveis de CS:GO, desde torneios online menores até os Majors da Valve. A listagem surgiu com o objetivo de fazer uma classificação justa e atualizada das melhores equipes do cenário competitivo do jogo e se tornou uma referência para comunidade. O formato seguido em 2019 surgiu em outubro de 2015. Pontuações O cálculo das pontuações de cada time considera os resultados em competições no período de um ano, as atuações dos jogadores nos últimos dez torneios presenciais e a capacidade da equipe de manter uma boa performance em dois meses. Vale destacar que a pontuação conquistada por um time em uma competição tende a perder relevância conforme o tempo passa, visto que o ranking valoriza mais as conquistas recentes. A equipe pode atingir o máximo de 1000 pontos: 50% referentes às conquistas dos torneios, 30% vindos das atuações em presenciais e 20% baseados na performance. A HLTV também valoriza vitórias contra equipes melhores colocadas no ranking. Por exemplo, é possível citar a ENCE, que deu um grande salto no ranking no começo de 2019 após vencer equipes melhores colocadas e levar o título da BLAST Pro Series Madrid. O mesmo vale para a Vitality com sua conquista no cs_summit 4 e subida para a quarta colocação. Em contrapartida, o período bastante inativo da Astralis em grandes competições recentes fez com que ela perdesse a liderança para a Team Liquid, que em maio de 2019 faturou o IEM Sydney 2019 e da DreamHack Master Dallas 2019. Times no topo O Ranking HLTV também se destaca ao mostrar com mais clareza o domínio de determinadas equipes em certos períodos do competitivo de CS:GO. A começar pelo reinado da Fnatic de 2015 até o começo de 2016, quando perderam o posto de líder para a Natus Vincere e depois viram o Brasil dominar o cenário do game com a Luminosity Gaming e a SK. No entanto, nenhum domínio supera o da dinamarquesa Astralis, que ficou no topo do ranking pela primeira vez em maio de 2017, foi destronada pela FaZe Clan em 2018, mas recuperou seu posto em abril do mesmo ano e permaneceu por mais de 400 dias na liderança, até perder seu posto para a Team Liquid. Via HLTV e Liquipedia
  6. O Notebook 7 e o Notebook 7 Force são os novos computadores portáteis da Samsung, anunciados nesta segunda-feira (3). Com visual fino e leve, os dispositivos chamam a atenção pela semelhança com o MacBook da Apple. Os laptops premium trazem na ficha técnica processador Intel Core de oitava geração e até 24 GB de memória RAM, em sua versão mais poderosa. Os modelos chegam às lojas dos Estados Unidos em 26 de junho, com preços a partir de US$ 999 (cerca de R$ 3.890, em conversão direta, sem impostos). A efeito de comparação, a versão mais simples do MacBook Air custa US$ 1.199 (aproximadamente R$ 4.669) nos Estados Unidos e R$ 10.399 aqui no Brasil. Por meio de seu site oficial, a Samsung confirmou o lançamento dos notebooks no Brasil. No entanto, a fabricante não revelou a data, nem os valores previstos. O Notebook 7 está disponível em diferentes versões, com telas de 13” e 15 polegadas. O menor modelo da linha é também o mais leve, com peso de apenas 1,29 kg. Os laptops trazem display com resolução Full HD (1920 x 1080 pixels) e oferecem leitor de impressões digitais, uma porta USB-C, duas USB 3.0 e uma HDMI, além de entrada para cartão microSD. Com relação à performance, os notebooks devem ter desempenho semelhante, pois ambos contam com processadores Intel Core de oitava geração e memória RAM de até 16 GB, suficiente para uso profissional com programas pesados. A diferença fica por conta dos gráficos e armazenamento: o Notebook 7 13" tem placa gráfica Intel UHD e SSD de até 512 GB, enquanto o Notebook 7 15" traz um slot para expansão de memória e versões com gráficos Intel ou placa de vídeo Nvidia GeForce MX250, que tende a garantir boa qualidade em jogos atuais. Já o Notebook 7 Force, como o nome sugere, tem especificações mais poderosas. Com tela de 15,6 polegadas, o modelos traz memória RAM de até 24 GB DDR4 e placa de vídeo Nvidia GeForce GTX 1650, para rodar jogos mais pesados com qualidade. Para armazenamento, a Samsung oferece SSD de 512 GB e dois slots de expansão: um para HD e outro para SSD. As semelhanças com o MacBook não ficam apenas no aspecto visual, mas também na qualidade do material utilizado na composição do aparelho. Os Notebook 7 e 7 Force têm o corpo inteiro de metal e a espessura mais fina do que modelos concorrentes, sem perder a resistência. Via Samsung, PC World e Slashgear
  7. Pirate Bay

    Eae galera, qual seria a pessoas dos seus sonhos, possa contar pela vida inteira
  8. O gravador de jogos Action! é o software de gravação de gameplays e da tela mais popular no mercado, oferecendo a possibilidade para gravar e fazer stream em tempo real sempre em alta definição. O Action! permite também aos usuários gravarem vídeos com alto rácio de frames em qualquer tarefa no ambiente de trabalho, adicionarem comentários de áudio e até criarem tutoriais simples de seguir sem esforço. Com a sua interface de usuário intuitiva e integração com alguns dos serviços de streaming mais populares, o Action! é um dos gravadores de ela mais amigáveis disponíveis. O Action! é compatível com Windows Vista, 7, 8, 8.1, e Windows 10, estando disponível para a grande maioria de jogadores e usuários no geral. Os vídeos são capturados com o Action! em formato AVI 2.0 ou MP4 usando os codecs H.264 ou H.265, o que significa que os usuários podem tirar o máximo partido de dois mundos: baixo tamanho de arquivo e qualidade elevada. Numa tela única, o Action! consegue gravar vídeos em alta qualidade até à resolução em 4K. Porém, as gameplays em tridimensional podem ser gravadas no formato AVI até 8192x8192, ultrapassando todas as qualidades de gravação de vídeo modernas. Ao gravar vídeos com formato AVI, o Action! consegue capturar até 144 frames por segundo. No formato de maior qualidade em MP4, o Action! consegue gravar até 60 frames por segundo. Recursos Principais O Action! está recheado de recursos. Usa o seu GPU da forma mais otimizada para garantir gravações de gameplays suaves em alta definição, e reproduz o seu rácio de frames atual e médio durante as gameplays para salvar os seus resultados como referência. O Action! pode ser indicado para os jogadores, mas não deixa os outros usuários de parte. Com a sua capacidade de gravação em alta definição e suave de qualquer tarefa realizada na tela, este programa poderoso consegue ajudar qualquer tipo de usuário a gravar tutoriais de alta qualidade com toda a facilidade. Mesmo que você altere entre janelas, o Action! continua a gravar toda a ação num único clipe estável. Você pode também adicionar comentários de áudio em tempo real com o microfone para fornecer todas as instruções necessárias. Streaming em Tempo Real O Action! foi desenvolvido para fazer streaming em tempo real e está integrado com os serviços de streaming mais populares como o Twitch, Facebook Live, YouTube e Hitbox. Se você não quiser fazer streaming em direto mas ainda assim pretende partilhar os seus clipes, o Action! dispõe de vários perfis pré-definidos que lhe permitem simplesmente pressionar num botão e exportar instantaneamente os seus clipes para o formato mais adequado com a sua plataforma de mídia de eleição. Adicionar Webcam Um dos recursos mais comuns na maioria dos streams em tempo real populares é a inclusão de gravações da webcam de um jogador, num dos cantos da tela. O Action! consegue realizar esta ação com facilidade, permitindo-lhe simplesmente selecionar a sua webcam e a posição onde pretende colocar a transmissão da sua stream, e de seguida basta iniciar a gravação. Em adição tem integrada a opção de chroma key do Action!, a qual lhe permite alterar qualquer fundo com cor sólida para um fundo à sua escolha, durante o seu streaming. Alta Resolução O Action! também suporta a gravação de vídeos em alta resolução. Você pode capturar vídeos em alta qualidade desde 2K até 4K em formatos AVI ou MP4, e até uma qualidade de 8K com configurações NVIDIA 3D Vision ou AMD Eyefinity no formato AVI. Gravação de Áudio Ao contrário de alguns dos seus concorrentes, o Action! permite-lhe gravar tudo o que ouve incluindo sons dos jogos, músicas de fundo e a sua própria voz, e misturar tudo no seu stream em tempo real ou gravação. Você pode capturar múltiplas imagens da tela e criar efeitos de câmera lenta suaves e de alta qualidade para obter uma apresentação de vídeo mais original e interessante. Prós e Contras Todos os softwares tem os seus pros e contras, e o Action! não é excepção. Tal como mencionámos em cima, o Action! dispoinibiliza gravação em HD e uma interface de usuário amigável. Conta também com opções poderosas de edição de vídeo e áudio e trabalha convenientemente com um canal em separado para microfones. O suporte de marcação é uma das funcionalidades que mais se destacam neste software, pois não é um recurso que seja possível encontrar em muitas outras opções. O suporte de streaming em tempo real e capacidade para capturar imagens da tela, por outro lado, estão disponíveis em praticamente todas as alternativas do mercado, mas ainda assim é sempre um recurso importante que qualquer software deste gênero deve disponibilizar. Com a sua capacidade para implementar vídeos da webcam nos vídeos em streaming, juntamente com comentários do microfone, o Action! destaca-se da concorrência. Contudo, um dos melhores recursos do Action! é a sua capacidade para manter um consumo de CPU relativamente baixo e gravar vídeos em arquivos até 20 vezes mais pequenos que o normal. Existem, como é óbvio, algumas características em que o Action! não atinge a exigência pretendida. Ao contrário de outros aplicativos populares de captura e streaming de vídeos, o Action! não é gratuito. Oferece uma versão de teste gratuita de 30 dias, mas após este período você tem que pagar $29.95 pela versão Home ou $49.95 pela versão Comercial. Além disso também não pode definir um rácio de frames personalizado ou ajustar os rácios de bits do vídeo com o software Action!. Como Usar Gravação de Gameplays O modo de gravação de "Jogos e Aplicativos" serve para capturar vídeos de qualquer jogo ou aplicativo com DirectX 9/10/11 ou OpenGL. Para começar, altere o modo de gravação para "Jogos e Aplicativos" e inicie o seu jogo. A HUD do Action! irá aparecer no canto superior direito do seu jogo. A cor azul nos números do rácio de frames indicam que o jogo está ativo e que o Action! está pronto a gravar. A tecla de atalho padrão para começar a gravar é F9. Pressione esta tecla assim que pretende iniciar a gravação e comece a jogar normalmente o seu jogo. Poderá reparar que o jogo está a ser gravado através da alteração da HUD. Assim que quiser parar a gravação, pressione novamenteme F9. A sua gravação irá terminar e a HUD irá voltar ao estado normal. Se não quiser que a HUD seja exibida nas suas gravações, acesse as opções da HUD no Action! HUD e selecione a opção "Não gravar a HUD nos jogos e aplicativos". Para reproduzir vídeos gravados, você pode usar o leitor interno do Action! para selecionar a gravação da gameplay. Para mais opções de reprodução, considere baixe o Splash, também desenvolvido pela Mirillis. Com o Splash você pode desfrutar de recursos poderosos como o SmartSeek, DetailBoost, LightBoost e AudioBoost. Streaming em Tempo Real O streaming em tempo real tornou-se extremamente popular e até permite aos usuários ganharem algum dinheiro. Essencialmente, você pode transmitir as suas gameplays no momento em serviços como o Twitch ou YouTube. Fazer streaming em tempo real é muito simples com o Action! Como começar Para fazer streaming em tempo real no Twitch, inicie o Action! e selecione a aba "Streaming em Tempo Real" e selecione a opção "Ativar Streaming em Tempo Real". Ajuste o tamanho do seu vídeo, o rácio de frames e as definições de rácio de bits de forma a corrsponder às capacidades da velocidade da sua Internet e do poder de processamento do computador. Se tiver alguns problemas de desempenho, deve reduzir o tamanho do vídeo e o rácio de frames ou o rácio de bits. No Twitch Após realizar os passos em cima, selecione “Twitch.tv” na opção "Serviço de Streaming" no menu de opções. Deverá ter uma conta do Twitch para continuar, por isso se ainda não tem, deve acessar a plataforma Twitch.tv no seu navegador e criar uma conta. Assim que criar a sua conta, pode clicar em "Entrar com o Twitch" no Action!. Introduza as suas credenciais de entrada do Twitch na respetiva janela. Configure o modo de gravação do Action! para "Jogos e Aplicativos" ou "Tela Ativa". Qualquer uma destas opções irá funcionar em jogos transmitidos em tempo real. Agora você está pronto(a) para iniciar o seu jogo, e deverá visualizar a HUD do Action! HUD no canto superior direito. Pressione em Ctrl e F9 para iniciar a transmissão, e assim que estiver satisfeito(a), pressione novamente Ctrl e F9 para terminar a sua transmissão. A HUD irá alterar a cor conforme você esteja ou não a transmitir. Se você se deparar com problemas ao entrar no Twitch a partir do Action!, pode sempre experimentar um método alternativo. Em vez de selecionar o Twitch.tv no menu de seleção do serviço de streaming, selecione "Personalizado". Descubra qual o Twitch RTMP URL que está disponível e copie e cole para o campo “Servidor/URL”. De seguida, acesse o o Twitch.tv no seu navegador para gerar uma chave da transmissão, e copie e cole essa chave para o campo "Chave do Stream" no Action!. Agora deverá estar tudo em ordem para fazer stream! No YouTube Após seguir as instruções na seção "Como começar" em cima, pode fazer stream para o YouTube no menu de opções "Serviços de Streaming" no Action!. Clique em "Entrar com o Google" e use as suas credenciais do Google para entrar no YouTube. Se você quiser alterar o estado do seu vídeo de público para privado, deve acessar o menu de opções "Privacidade" no Action!. Selecione o seu modo de gravação preferido e inicie o seu jogo. Tal como se fizesse streaming no Twitch, use as teclas Ctrl e F9 para iniciar e parar o streaming. Exportar e Carregar Se você quiser partilhar as suas gravações de vídeo, deve exportar e carregar os vídeos para o YouTube ou outras plataformas de hospedagem de vídeos. Para tal, selecione a miniatura da sua gravação no Action!. De seguida, clique no botão do YouTube para abrir a janela de exportação, onde deve entrar na sua conta do Google. Depois deverá escolher para qual das suas contas do YouTube pretende carregar o vídeo, caso tenha mais que uma conta. Aqui, pressione em Seguinte, introduza um título, descrição, categoria e ajuste as definições de privacidade à sua medida. Depois clique em Iniciar. O Action! irá dar início à exportação e conversão do seu vídeo para MP4 de forma a carregar mais rapidamente. Assim que o vídeo seja exportado, o Action! irá carregar automaticamente a sua gravação para o YouTube. Após o vídeo estar totalmente carregado, confira o vídeo ao clicar no botão "Abrir no Navegador". Comparação Obviamente que o Action! não é o único software de captura de tela disponível. Dois de muitos outros programas populares são o Fraps e o Bandicam. Nos testes de desempenho contra estes dois programas, o Action! foi superior. Numa gravação de 120 frames por segundo, o Action usou apenas .3 MB por cada frame gravado, enquanto que o Fraps usou 1.2 e o Bandicam .7 MB. O Action! consumiu apenas .17% do CPU por 1 frame gravado, enquanto que o Fraps usou .25%, e o Bandicam .44%. Tendo estes testes terem sido realizados com a opção de 120 frames por segundo em cada um destes aplicativos, apenas o Action! conseguiu atingir este valor. O Fraps apenas conseguiu capturar 65 frames por segundo, enquanto que o Bandicam apenas alcançou os 50 frames por segundo. Página da Loja na Steam https://store.steampowered.com/app/228180/Action__Gameplay_Recording_and_Streaming/ Exemplo de Captura com o Action Vídeo gravado a 1080p e 60fps. Créditos: Texto - Sandra (Filmora) Imagens e Vídeo - Euzinho (Nadeko')
  9. A MIBR disputará suas três primeiras partidas da classificatória regional para a ESL Pro League Season 9 nos próximos dias. O time brasileiro de Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO) está no grupo C e enfrentará Luminosity Gaming, Cloud9 e Team Envy. Os confrontos serão realizados neste fim de semana, com transmissão ao vivo nos canais oficiais do evento em três plataformas: Facebook, Twitch e YouTube. Veja, a seguir, o calendário dos primeiros jogos da MIBR pela ESL Pro League Season 9 no horário oficial de Brasília. Sexta-feira (19 de abril) 21h25 – MIBR x Luminosity Gaming Sábado (20 de abril) 21h25 – MIBR x Team Envy Domingo (21 de abril) 21h25 – MIBR x Cloud9 Todos os duelos seguirão o formato MD3. Caso a MIBR termine a rodada em primeiro lugar, estará automaticamente classificada para as Finais da ESL Pro League Season 9 em Montpellier, França, no dia 18 de junho. Caso termine em segundo ou terceiro lugar, o quinteto brasileiro terá outra chance de garantir vaga na final ao enfrentar os sobreviventes dos demais grupos na segunda etapa do campeonato, marcada para começar no dia 14 de maio. Além da Luminosity e da MIBR, outras duas organizações brasileiras foram convidadas a disputar a nona temporada: INTZ e DETONA Gaming. Os Intrépidos já cumpriram seus compromissos e terminaram na lanterna do grupo A. Já os Pitbulls começam a sua trajetória no dia 23 de abril contra Denial Esports, Infinity Esports e Isurus Gaming. A ESL Pro League Season é uma das principais competições do circuito internacional de CS:GO. Esta já é a nona temporada do evento, que distribuirá premiação total de US$ 750 mil (R$ 2,8 milhões em conversão direta). Além da etapa americana, existem também as eliminatórias da Europa, Ásia e Oceania. Ao fim dos qualificatórios, as 16 melhores equipes avançam para as finais. Via Liquipedia e HLTV
  10. Pirate Bay

    Eae galera, qual seria o pc dos sonhos para vocês ?
  11. Antstream é um serviço de assinatura inédito que promete acesso instantâneo a uma biblioteca com mais de 2 mil jogos clássicos em diferentes dispositivos — computadores, celulares, tablets e Xbox One. Atualmente em campanha de arrecadação de fundos via Kickstarter, a plataforma segue a tendência de serviços de streaming como Netflix, PlayStation Now e o recém-anunciado Google Stadia. Um vídeo de introdução ao projeto — em inglês — pode ser conferido a seguir: Os idealizadores do projeto asseguram que todos os jogos serão disponibilizados com a devida licença e terão um desempenho excelente. A ideia é que novos jogos sejam adicionados à listagem gradativamente com base na preferência da comunidade. Entre as empresas que concederam os direitos para publicação, estão: SNK, Technos, Codemasters, Arc System Works etc. Haverá ainda suporte a uma lista de desafios exclusivos para que seja possível competir em pontuação com amigos ou com pessoas ao redor do mundo. Inicialmente, haverá suporte somente à América do Norte e Europa. A campanha visa arrecadar US$ 65 mil — aproximadamente R$ 252 mil — até o dia 10 de maio de 2019, sendo que o lançamento definitivo da plataforma deve acontecer apenas no final de 2019. A partir do apoio de US$ 52 — aproximadamente R$ 198 —, os apoiadores terão direito a um acesso antecipado com início agendado para maio. Créditos ao Kickstarter
  12. Scouts (no esporte, é o ato de analisar o rendimento de equipes) avançados, cursos online, relatórios multimídia e, até mesmo, novas profissões. A tecnologia com a era da internet mudou o rumo dos esportes, trazendo interatividade e novas possibilidades de fazer negócio com pessoas do mundo todo. Nos últimos 20 anos, a tecnologia não mudou apenas o jeito de fazer esportes para os atletas ou pessoas envolvidas diretamente com o jogo, torcedores, jornalistas e empreendedores estão vivendo o esporte como nunca antes. Tecnologia como aliada no setor da informação esportiva Quando o Brasil enfrentou a Holanda na Copa do Mundo de 1974, o treinador Zagallo não teve respostas para combater a chamada “Laranja Mecânica”. Adotando o estilo de jogo “Futebol Total”, os holandeses pressionaram a saída de bola da seleção canarinho e dominaram taticamente. Na época, era evidente que a comissão técnica brasileira não tinha conhecimento necessário de scout dos holandeses. Nas entrevistas pré-jogo, Zagallo até chegou a dizer que os adversários jogavam um futebol “feijão com arroz”, algo que não condizia em nada com uma seleção que ajudou a revolucionar o esporte. Hoje em dia, surpresas como a Holanda em 1974 são praticamente impossíveis. Redes quase infinitas de scout e até mesmo videogame como método de ajuda no mapeamento de jogadores e táticas tornam um esporte globalizado em que cada um sabe o ponto fraco do outro. É o caso do beisebol, por exemplo. NA MLB, maior liga de beisebol do mundo, todas as franquias contam com equipes completas que cuidam exclusivamente das estatísticas e da avaliação dos adversários. Além disso, em praticamente qualquer grande liga, o atleta de alta performance conta com relatório completo do seu desempenho durante os treinos ou jogos. É o caso do futebol, e essa realidade já está há tempos no Brasil. Times como Palmeiras e Grêmio já aderiram de vez a análise de dados e contam com profissionais dedicados exclusivamente para isso. Segundo o ex-jogador e hoje diretor da Federação Alemã de Futebol, Oliver Bierhoff, “em 10 minutos, 10 jogadores podem gerar 7 milhões de pontos de dados”, e, para tal, é necessário um grande aparato para processar tudo isso e assim transformar os dados em informações úteis aos atletas. Internet como porta de entrada para os esportes O beisebol traz mais um exemplo perfeito aqui. Mais cedo neste ano, Jeff Sulivan, escritor do site Fangraphs, foi contratado pelo Tampa Bay Rays para trabalhar na parte de análise de dados da equipe norte-americana. Sullivan ganhou projeção no mundo esportivo com o seu trabalho como analista no site Fangraphs e muito provavelmente sem a internet ele não conseguiria ter o apelo que o catapultou até ao emprego num time da MLB. Esse é apenas um dos vários exemplos que mostram como a internet é uma porta de entrada para o mundo real dos esportes. No futebol, há também muitos casos assim. Atualmente, não faltam cursos especializantes online para treinadores, gestores e preparadores físicos e muitos mais. A própria CBF realiza cursos de ensino a distância para espalhar o conhecimento do futebol para diversos profissionais da área esportiva. Utopia virou realidade: competir profissionalmente sem sair de casa Imaginar um mundo em que o atleta poderia competir profissionalmente no conforto de sua casa era algo simplesmente inimaginável na década de 1980, mas o avanço gradual da internet nos últimos anos fez com que isso deixasse de ser ficção científica. O poker é o maior exemplo de como a tecnologia avançou a um ponto em que é possível competir em casa. Reconhecido oficialmente como o esporte da mente, essa modalidade luta para entrar nas próximas Olimpíadas e vem crescendo a passos largos. A popularidade do poker nos dias atuais só é possível graças ao “boom” ocasionado por esse esporte praticado pela internet. São centenas de sites que disponibilizam poker online e para competir só é necessário um bom computador ou celular e conexão de internet estável. Um exemplo claro de como a tecnologia torna possível o sonho de muitos atletas é o de Ramom Colilas. O competidor de poker espanhol conseguiu seu maior título de carreira no início deste ano, quando venceu um grande torneio nas Bahamas. Colillas garantiu seu lugar no evento por meio do Platinum Pass, credencial oferecida a competidores que se destacam no mundo online. Tanto Colillas quanto milhares de outros competidores profissionais no mundo do poker online conseguem brilhar profissionalmente no mundo online. No Brasil, há exemplos como João Simão, Bruno Volkamnn, Gerado César e vários outros que são verdadeiros craques no poker pela internet. Futuro tem espaço para outras revoluções tecnológicas no esporte Ao que tudo indica, ainda há muito espaço para a tecnologia crescer no esporte, principalmente no futebol. Faz pouco tempo, por exemplo, que a primeira divisão do futebol nacional adotou o VAR e as ligas inferiores ainda não contam com isso em totalidade. Entretanto, em relação ao auxílio ao treinamento, o futebol brasileiro começa a andar de mãos dadas à tecnologia. Um recurso adotado e que ajuda os times a terem dados mais precisos dos jogadores é o uso de dispositivos de GPS, que podem fazer um balanço da velocidade dos jogadores, distâncias percorridas, posicionamento, entre outras métricas. Inclusive, a seleção brasileira utilizou essa tecnologia pela primeira vez durante a Copa do Mundo da Rússia. No futebol brasileiro, times como Botafogo, Palmeiras, Sport Recife e São Caetano fecharam parcerias com empresas para fornecerem esses dispositivos. A tecnologia no esporte é um caminho sem volta e os mais saudosistas terão que se adaptar e renovar seus conceitos para entrarem nessa nova realidade do mundo esportivo que segue em imparável evolução. Créditos ao showmetech!
  13. CS:GO: times, calendário e horário dos jogos da StarSeries & i-League S7 A StarSeries & i-League Season 7, torneio mundial de Counter Strike: Global Offensive, acontece entre os dias 30 de março a 7 de abril, em Shangai, na China. O campeonato vai reunir 16 times de todo o mundo e o Brasil será representado na disputa pela line up da MIBR, time de Gabriel “FalleN” Toledo, e pela paiN Gaming. As equipes brigam pelo título e o grande prêmio total de US$ 500 mil dólares (cerca de R$ 1,9 milhões em conversão direta). As partidas da StarSeries i-League Season 7 serão transmitidas ao vivo nos canais oficiais da competição na Twitch TV. A ENCE é a atual campeã do campeonato e busca mais um título para a organização. Veja, a seguir, todos os times, calendário e horários dos jogos da StarSeries i-League S7. Times A primeira fase da StarSeries i-League Season 7 contará com a participação de 16 equipes. A Natus Vincere chega como favorita: o time é o quarto colocado no ranking da HLTV e teve resultados sólidos durante a temporada de 2018. A ENCE Esports também vem forte, embalada pelo vice-campeonato do Intel Extreme Masters (IEM)Katowice Major e pela boa performance na BLAST Pro Series SP. Apesar de ser um time historicamente forte, a MIBR chega ao torneio após dois resultados difíceis nos últimos campeonatos, a WESG e a BLAST SP. O time, que teve seu elenco reformulado no início de janeiro, ainda não conseguiu se encaixar e obter resultados de muito destaque. Já a paiN Gaming chega liderada por Vinícios "PKL" Coelho após conseguir se classificar pelo GAMECON Open 2018. Veja, a seguir, a relação de todos os participantes da StarSeries & i-League S7. MIBR; ENCE eSports; Vitality; BIG; Renegades; NRG Esports; North; Rogue; NiP; paiN Gaming; Natus Vincere; Team Spirit; TyLoo; FaZe Clan; Fnatic; Panda. Formato O campeonato é realizado em formato suíço. As partidas de eliminação e avanço serão séries melhor de três mapas (MD3). As equipes que vencerem três jogos se qualificam para os playoffs. Já, os times que perderem três vezes estão eliminados. Oito equipes avançam aos playoffs, disputados no formato de eliminação simples em séries MD3. A grande final será uma série de melhor de cinco (MD5). Datas A primeira fase da competição ocorre entre os dias 30 de março a 3 de abril. No dia 30 de março, acontecem duas partidas por horário - 00h00, 3h, 6h e 9h da manhã (horário de Brasília). Já no dia 31 de março e 1 de abril, acontecem também dois jogos por horário - 00h00, 4h, 7h e 10h da manhã. Na terça-feira, 2 de abril, serão dois jogos às 4h, dois às 7h e dois às 10h da manhã. No dia 3, serão disputadas as últimas partidas da primeira fase, uma às 4h, uma às 7h e outra às 10h da manhã. As quartas de finais e semifinais acontecem nos dias 5 e 6 de abril, com partidas às 2h, 5h e 8h da manhã. A grande final será disputada no dia 7 de abril às 6 da manhã. Na estreia, a MIBR, dos brasileiros Gabriel “FalleN” Toledo, Marcelo “coldzera” David, Fernando “fer” Alvarenga, Epitácio "TACO" de Meloe João "felps" Vasconcellos, vai enfrentar a chinesa Panda Gaming às 6h da manhã (horário de Brasília). Já a paIN gaming encara os europeus da Faze Clan, às 3h da manhã. Veja, a seguir, o cronograma do primeiro dia de disputas da StarSeries i-League Season 7: Créditos ao TechTudo!
  14. São Paulo recebe a BLAST Pro Series entre os dias 22 e 23 de março de 2019 no Ginásio do Ibirapuera. A competição de Counter-Strike: Global Offensive, uma das mais revelantes do cenário competitivo internacional, tem prêmio total de U$ 250 Mil ( Cerca de R$ 941 mil em conversão direita ) e contará com a presença de seis equipes, entre elas o elenco brasileiro da MIBR e a dinamarquesa Astralis. Os ingressos para a BLAST Pro Series São Paulo 2019 estão esgotados, mas o campeonato será transmitido ao vivo na Twitch TV, YouTube e SporTV. Veja, a seguir, a programação do torneio, os times participantes, regras e calendário com os horários dos jogos. -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Times Além da MIBR e da Astralis, atual campeã da competição, os finlandeses da ENCE também estão confirmados entre os convidados. A organização europeia surpreendeu o mundo no começo da temporada e foi vice-campeã mundial. Se juntam a eles a FaZe Clan, Team Liquid e Ninjas in Pyjamasm totalizando seis participantes. Os brasileiros da Made in Brazil estão em busca do primeiro título desde a reunião da antiga line up da SK Gaming. Em 2019, Gabriel '' Fallen '' Toledo, Marcelo '' Coldzera '' David, Fernando '' Fer '' Alvarenga, Epitáico '' Taco '' de Melo e João ''felps '' Vasconcellos chegaram às semifinais do Major e realizaram ótima campanha na Polônia, mas amargaram eliminação inesperada na WESG World Finals. -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Regulamento A BLAST Pro Series São Paulo manterá as regras tradicionais do campeonato: cinco rodadas no formato pontos corridos (MD1) e grande final (MD3). As duas melhores equipes da primeira etapa são classificadas para a grande final. Confira abaixo a divisão de prêmios: 1º lugar – US$ 125 mil (R$ 476 mil); 2º lugar – US$ 50 mil (R$ 190 mil); 3º lugar – US$ 25 mil (R$ 95 mil); 4º lugar – US$ 15 mil (R$ 57 mil); 5º lugar – US$ 10 mil (R$ 38 mil); 6º lugar – US$ 5 mil (R$ 19 mil). -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- A MIBR disputará sua partida de estreia contra a ENCE. Em seguida, os brasileiros enfrentam FaZe Clan, Astralis, Team Liquid e, por último, Ninjas in Pyjamas. Veja, a seguir, o calendário completo da competição no horário oficial de Brasília. Sexta-feira (22/03) 19h – FaZe x NiP; 19h – MIBR x ENCE; 19h – Astralis x Liquid; 20h30 – Astralis x ENCE; 20h30 – FaZe x MIBR; 20h30 – NiP x Liquid. Sábado (23/03) 13h – Astralis x MIBR; 13h – Liquid x FaZe; 13h – ENCE x NiP; 14h20 – MIBR x Liquid; 14h20 – ENCE x FaZe; 14h20 – Astralis x NiP; 15h40 – ENCE x Liquid; 15h40 – MIBR x NiP; 15h40 – Astralis x FaZe; 18h – Final.
  15. Quando estão jogando, a maioria das pessoas não se preocupam em serem infectadas pelo cliente do jogo. Novas pesquisas, no entanto, mostram que é exatamente o que está acontecendo, com 39% de todos os servidores dos jogos existentes de Counter-Strike 1.6 tentando infectar os jogadores através de vulnerabilidades no cliente do jogo. Embora Counter-Strike 1.6 tenha quase 20 anos, ainda há uma forte base de jogadores e servidores no jogo. Com essa demanda, os provedores de host alugam os servidores do jogo mensalmente e oferecem outros serviços, como fazer propaganda do servidor de um cliente, a fim de aumentar sua popularidade. Em um novo relatório do Dr. Web, os pesquisadores explicam como um desenvolvedor está utilizando vulnerabilidades nos clientes do jogo, o botnet Belonard Trojan, e servidores maliciosos para promover os servidores de seus clientes e recrutar mais vítimas para o botnet. No seu auge, esse botnet cresceu tanto que aproximadamente 39% dos 5.000 servidores de Counter-Strike 1.6 eram de natureza maliciosa e tentavam infectar os jogadores conectados. O Belonard Trojan A fim de promover os servidores de seus clientes, um desenvolvedor com um apelido de Belonard criou servidores maliciosos que, quando conectados a um cliente do Counter-Strike 1.6, infecta o jogador com o Belonard Trojan. Para fazer isso, o botnet de Belonard utilizava clientes pré-infectados ou vulnerabilidades na execução de comandos remotos em clientes limpos, o que lhe permitia instalar o Trojan simplesmente por um jogador visitar um servidor malicioso. Como o cliente do jogo Counter-Strike 1.6 não é mais suportado, todos os jogadores deste jogo são vítimas em potencial deste botnet. Abaixo está um fluxo de ataque demonstrando como o Belonard funciona. Quando instalado, o Trojan criará um serviço no Windows chamado "Windows DHCP Service" e utilizará o valor ServiceDLL para carregar o Belonard Trojan salvo em C:\Windows\System32\WinDHCP.dll. O Trojan substituirá os arquivos no cliente do jogo, que não apenas promove o site do invasor onde os clientes infectados podem ser baixados, mas também promove servidores falsos. Se um jogador tentar entrar em um desses servidores, ele será redirecionado para um servidor de jogo malicioso que usa a vulnerabilidade RCE para infectar a vítima com o Trojan Belonard. Desligando a Rede de Bots Em coordenação com o domínio REG.ru, o Dr. Web conseguiu desligar os domínios que o Trojan usava para redirecionar os jogadores para servidores falsos. Isso ajudará a impedir que novos jogadores sejam infectados. O Dr. Web também continuou a monitorar outros domínios utilizados pelo Algoritmo de Geração de Domínio do malware, mas até agora os Sinkholes puderam evitar novas infecções. Infelizmente, a única maneira de impedir que esse botnet seja criado novamente é corrigir as vulnerabilidades no cliente. Como o Counter-Strike 1.6 foi o último cliente a ser lançado pela Valve, não espere que uma correção seja lançada. Créditos: Bleepingcomputer
  16. Um estudo feito pela equipe da Global Consumer Insights da EA descobriu que 56% dos 2.252 participantes da pesquisa consideram importante que as empresas tornem seus jogos mais inclusivos. 31 por cento eram "neutros" sobre o assunto, e 13 por cento disseram que a inclusão "não era importante". A pesquisa foi enviada em Maio do ano passado e teve como alvo jogadores com a faixa etária de 13 a 54 anos. Jenny Shi, da EA, liderou o estudo e publicou as descobertas no início deste mês. Inclusão é um termo amplo, mas Shi forneceu exemplos para dar aos participantes um contexto adicional, como criadores de personagens que permitem uma variedade de cores e tamanhos de corpo, histórias que incluem personagens de diversas culturas, experiências de chat saudáveis e amigáveis nos jogos, e recursos que "permitem que pessoas com necessidades especiais joguem". 45 por cento afirmou que estariam "mais propensos a jogar" um jogo que incluísse esses recursos. A pesquisa sugere que a reação negativa contra recursos inclusivos vem de uma minoria de jogadores. Mas os participantes não estavam felizes apenas por terem mais jogos inclusivos - eles queriam que os jogos fossem muito mais além. Embora mais de 50% acreditavam que a representação estava "melhorando", o relatório descobriu que muitos jogadores queriam melhorar a qualidade da representação. A pesquisa também analisou as maiores preocupações dos participantes nos jogos. A toxicidade foi a segunda maior preocupação entre os jogadores na pesquisa, ficando atrás apenas da qualidade do jogo. 61% estavam muito preocupados com a toxicidade, com 14% dizendo que comunidades hostis os faziam se afastar de alguns jogos. A maioria também acredita que isso não está melhorando. Mais de 50% disseram que a administração da toxicidade e o comportamento dos jogadores permaneceram os mesmos nos últimos dois anos. Shi planeja continuar a pesquisa para definir o comportamento disruptivo e tentar chegar a consequências efetivas. Créditos: PCgamer
  17. Confira o siginificado dos principais termos e siglas neste dicionário da TI: A área de tecnologia é cheia de termos e siglas que as vezes confundem os usuários e até os profissionais com experiência no assunto. Para ajudar a entender melhor todo esse universo, criamos um dicionário com os principais termos e siglas da TI. Confira! ABR A ABR (available bit rate – taxa de bit disponível) é a quantidade média de dados transferidos por unidade de tempo. Por exemplo: um arquivo que possui uma taxa de bit disponível de 256kbit/s transfere, em média, 256.000 bits a cada segundo. ADVANCED ANALYTICS O Gartner define plataformas de Advanced Analytics como capazes de proporcionar um ambiente end-to-end para desenvolver e implementar modelos. Estas plataformas devem incluir: (1) acesso aos dados a partir de múltiplas fontes; (2) preparação de dados, exploração, e visualização; (3) a capacidade de implantar modelos e integrá-los nos processos de negócios e aplicações; (4) capacidades performáticas da plataforma, do projeto e do modelo de gestão; e de (5) alta escalabilidade de desempenho tanto para o desenvolvimento e implantação. ANSI American national standard institute – instituto nacional americano de padrões. APACHE TOMCAT O Tomcat é um servidor web Java, mais especificamente, um container de servlets. APP A sigla pode ter vários significados, porém no universo computacional, APP é a abreviação de application ou aplicativo. Trata-se de um programa desenvolvido para executar uma função específica, basicamente para o usuário. ARDUÍNO Arduíno é uma plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre e de placa única, projetada com um microcontrolador com suporte de entrada/saída embutido, uma linguagem de programação padrão, a qual tem origem em wiring (plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre), e é essencialmente C/C++. O objetivo do projeto é criar ferramentas que são acessíveis, com baixo custo, flexíveis e fáceis de se usar por artistas e amadores. Principalmente para aqueles que não teriam alcance aos controladores mais sofisticados e de ferramentas mais complicadas. ARPANET A ARPAnet (advanced research projects agency network) é a primeira rede de computadores à base de comutação de pacotes. Criada em 1969 pelo departamento de defesa dos EUA para interligar bases militares e departamentos de pesquisa do governo, deu origem à internet. ARRAY O array é um grupo de elementos com atributos semelhantes (como memória ou disco) que podem ser endereçados individualmente. ASCII O ASCII (american standard code for information interchange – código americano padronizado de intercâmbio de informações) é o conjunto internacional de caracteres com valores decimais que o computador pode produzir. Por exemplo: TAB=9, espaço=32, Letra A=65, letra a=97, número 0=48. AWS A Amazon Web Services (AWS) é uma plataforma de serviços em nuvem segura, oferecendo poder computacional, armazenamento de banco de dados, distribuição de conteúdo e outras funcionalidades para ajudar as empresas em seu dimensionamento e crescimento. B2B B2B (business to business) é a expressão utilizada para indicar operações entre empresas. A natureza dessa operação pode ser revenda, transformação ou consumo. B2C O B2C (business to customer) é a expressão utilizada para indicar operações entre empresa e consumidor final. BACKBONE O backbone é a rede principal por onde circulam todos os dados de todos os clientes da internet. BACKUP O backup é a cópia de dados de um dispositivo de armazenamento a outro para que possam ser restaurados em caso da perda dos dados originais, o que pode envolver apagamentos acidentais ou corrupção de dados. BAM O BAM (business activity management – monitoramento das atividades de negócio) é o termo que define como podemos fornecer acesso em tempo real aos indicadores críticos de desempenho de negócios para aumentar a velocidade e a eficácia das operações de negócios. Ao contrário de monitoramento em tempo real tradicional, o BAM vai buscar a informação em múltiplos sistemas de aplicação e também em outras fontes internas e externas, permitindo uma visão mais ampla e mais rica das atividades empresariais. BBS O BBS (bulletin board system) é um ambiente virtual formado por computadores, modems e um software de comunicação ligados a uma ou mais linhas telefônicas. A partir de uma configuração básica feita com scripts e arquivos de texto, é possível criar seu próprio sistema e conectá-lo a outros por meio de uma rede telefônica usando um modem. BDE O BDE (borland database engine) é um mecanismo de acesso a banco de dados desenvolvido pela Borland, amplamente testado por ser usado no mundo inteiro. BIG DATA Big Data é um termo amplamente utilizado na atualidade para nomear conjuntos de dados muito grandes ou complexos, que os aplicativos de processamento de dados tradicionais ainda não conseguem lidar. Os desafios desta área incluem: análise, captura, curadoria de dados, pesquisa, compartilhamento, armazenamento, transferência, visualização e informações sobre privacidade dos dados. BIOS O BIOS (basic input output system) é o sistema básico de entrada e saída. BI O Business Intelligence (BI) é um software para visualização de indicadores de negócios. Possibilita o tratamento de dados complexos para criar visões simplificadas. BIT O BIT é a sigla da união das palavras BInary digiT ou dígito binário. Trata-se da menor unidade de medida de dados que pode ser armazenada ou transmitida no universo computacional. Um bit tem um único valor, sendo zero ou um, ou seja, verdadeiro ou falso. BOTNET Um botnet é uma coleção de programas conectados à internet que comunicam-se com outros programas similares, a fim de executar tarefas. Também é uma coleção de agentes de software ou bots que executam autonomamente e automaticamente. O termo é geralmente associado com o uso de software malicioso, mas também pode se referir a uma rede de computadores, utilizando software de computação distribuída. BPM O BPM (business process management – gerenciamento de processos de negócio) é uma gestão de processos de negócio. Essa gestão é feita através de uma visão sistêmica e geral da organização e é baseada na definição de parâmetros, monitoramento, controle e adaptação para melhoria contínua dos processos. A automação dos processos também é um objetivo do uso do BPM. BPMN O business process model notation ou notação de modelagem de processos de negócio é um registro desenvolvido para definir e gerenciar processos na esfera de negócios. A principal funcionalidade é facilitar a o entendimento do BPM. BPS O BPS (bits per second – bits por segundo) é a medida de transmissão ou recepção de bits. BYOD O BYOD (bring your own device – traga seu próprio dispositivo) é a possibilidade de utilizar dispositivos pessoais como smartphones, tablets ou notebooks no local de trabalho para uso e conectividade com a rede corporativa. O BYOD proporcionou um aumento na produtividade nas empresas, pois os colaboradores podem utilizar seus próprios equipamentos, tornando-os mais independentes e dispostos a trabalhar. CACHE O cache é um dispositivo de acesso rápido, interno a um sistema, que serve de intermediário entre um operador de um processo e o dispositivo de armazenamento ao qual esse operador acede. CAPEX e OPEX O CAPEX (capital expenditure – despesas de capital) designa o montante de dinheiro despendido na aquisição (ou introdução de melhorias) de bens de capital de uma determinada empresa. O OPEX (operational expenditure) é o capital utilizado para manter ou melhorar os bens físicos de uma empresa, tais como equipamentos, propriedades e imóveis. As despesas operacionais são os preços contínuos para dirigir um produto, o negócio, ou o sistema. CATÁLOGO DE SERVIÇOS O Catálogo de Serviço traz uma visão clara de quais serviços a TI oferece e como a TI agrega valor para os recursos financeiros alocados. Oferece um método para requisitar ou pedir os serviços publicados, viabilizando a boa governança em que os principais termos, condições e controles definidos nele estejam integrados aos processos de prestação de serviço da organização. Também permite que a organização melhore o planejamento, a entrega e o suporte aos serviços, enquanto avalia de forma correta os custos e preços do serviço. CEM CEM (customer experience management – gerenciamento da experiência do usuário) é a percepção da interação entre uma empresa e um consumidor através da visão do próprio cliente. Pode se dizer que o CEM é uma experiência do consumidor através de interações com a marca durante o processo de compra. Com o objetivo de agregar alto valor tecnológico ao ambiente de negócios, a OpServices desenvolveu o OpCEM software de criação e edição de robôs que simulam a experiência do usuário. Através de um usuário virtual, a solução é configurada para fazer todo o caminho necessário para realizar uma atividade como, por exemplo: fazer o login em uma área restrita, realizar um cadastro, fazer uma compra em uma loja virtual, etc. CI ou IC Configuration item ou item de configuração é um dispositivo que pode ser configurado com o objetivo de se entregar a um serviço de TI. Por exemplo: servidor, roteador, switch, access point, entre outros. CIA ou AIC Os configuration item attribute ou atributos de item de configuração são métricas e indicadores monitorados dentro dos CIs ou ICs. Por exemplo: no monitoramento de um servidor (IC) temos alguns indicadores (AIC) que podem ser monitorados como: CPU, memória, disco, entre outros. C-LEVELS As nomenclaturas representam o chamado ‘nível C’. O significado completo é “Chief ______ Officer”, com o espaço em branco representando a área da empresa que a pessoa chefia: • CEO (chief executive officer) – Presidente-executivo ou diretor geral. • CFO (chief financial officer) – Diretor financeiro. • COO (chief operation officer) – Diretor operacional. • CMO (chief marketing officer) – Diretor de marketing. • CPO (chief product officer) – Diretor de produto. • CTO (chief technology officer) – Diretor de tecnologia. • CIO (chief information officer) – Diretor de TI. • CAO (chief accounting officer) – Diretor de contabilidade. • CBO (chief business officer) – Diretor de negócios. • CCO (chief commercial officer) – Diretor comercial. • CCO (chief communications officer) – Diretor de comunicações. • CCO (chief creative officer) – Diretor de criação. • CCO (chief content officer) – Diretor de conteúdo. • CDO (chief digital officer) – Diretor digital. • CDO (chief diversity officer) – Diretor de diversidade. • CDO (chief design officer) – Diretor de design. • CHRO (chief human resources officer) – Diretor de recursos humanos. • CLO (chief legal officer) – Diretor jurídico. • CSO (chief science officer) – Diretor científico. CLOCK RATE O clock rate indica a frequência com que o processador de um computador funciona. Seu sistema de medidas é em Hertz (MHz ou GHz, por exemplo). CLOUD COMPUTING O cloud computing (computação em nuvem) refere-se à utilização da memória e da capacidade de armazenamento e cálculo de computadores e servidores compartilhados e interligados por meio da internet, seguindo o princípio da computação em grade. CLUSTER Um cluster consiste em computadores vagamente ou fortemente ligados que trabalham em conjunto para que, em muitos aspectos, eles possam ser vistos como um único sistema. . CMDB ou BDGC O CMBD (configuration management database – banco de dados do gerenciamento de configuração, ou BDGC) é um repositório de informações relacionadas a todos os itens de configuração na infraestrutura de TI. O CMDB é um componente fundamental do processo de gerenciamento de configuração do ITIL. O CMDB é a fonte confiável de informação sobre configuração de todo e qualquer componente do ambiente de TI, incluindo servidores, roteadores, desktops, impressoras, telefones, softwares, etc. COBOL O COBOL (COmmon Business Oriented Language – linguagem comum orientada para negócios) é uma antiga linguagem de programação orientada para o processamento de banco de dados comerciais. COBIT O COBIT (control objectives for information and related technology) auxilia a empresa a ter uma governança de TI mais controlada. É focado no negócio e tem por finalidade fornecer aos gestores um modelo de governança que ajude a entregar valor a TI e também a gerenciar de forma mais clara os riscos associados a área. COOKIES Cookies são pequenos arquivos que ficam armazenados no computador. Eles são feitos para guardar dados específicos de um cliente ou website, para serem acessados futuramente pelo servidor web de maneira mais rápida. CPU Central processor unit ou unidade central de processamento é o responsável pelo controle e execução das tarefas do computador, ou seja, é onde todas as operações do computador são processadas. CRM O CRM (customer relationship management – gerenciamento do relacionamento com o cliente) é um sistema integrado de gestão com foco no cliente, que reune vários processos e tarefas de uma forma organizada e integrada. DATACENTER (DC) ou CPD O datacenter (DC) ou CPD (centro de processamento de dados) é um ambiente projetado para abrigar servidores e outros componentes como sistemas de armazenamento de dados e ativos de rede. DBMS ou SGBD DBMS é a sigla para data base management system, em português a sigla é SGBD (sistema de gerenciamento de banco de dados). DASHBOARDS Os dashboards são painéis visuais que centralizam informações importantes para o negócios. Permitem, desta forma, entender o cenário em tempo real e tomar decisões baseadas em informações reais e que estão ocorrendo agora, monitoradas minuto a minuto. DDR O DDR (double data rate) é a taxa de transferência dobrada. DEVOPS Derivada da junção entre Desenvolvedor e Operações, DevOps é uma metodologia de desenvolvimento de softwareque busca maximizar os resultados das equipes de TI. A metodologia integra toda a equipe de colaboradores e torna mais eficiente a comunicação entre eles, elevando o desenvolvimento de software e as equipes de TI a um novo patamar. As empresas que possuem as suas equipes de TI têm essas equipes compostas por profissionais especializados em diversas tecnologias, linguagens e operação em sistemas, que vão do RH ao financeiro, passando por todos os setores chaves da empresa. DHTML O DHTML é uma união de tecnologias HTML, JavaScript e CSS, aliadas a um Modelo de Objeto de Documentos (DOM), que permitem a interatividade e animação de websites modificando a dinâmica na própria máquina, sem a necessidade de acessos a um servidor web. DOWNTIME O downtime é o tempo que o sistema não está operacional. Saiba como calcular o custo de um downtime. DNS DNS (domain name system – sitema de nomes e domínios) é um sistema que gerencia nomes e reconhece seus números de IP para fazer uma conexão. Devido ao DNS pode-se, por exemplo, digitar na barra de endereços do navegador ’www.opservices.com.br’ para acessar o site ao invés de um monte de números e pontos. ELASTIC SEARCH O elasticsearch é uma ferramenta para buscas de código aberto (opensource) que tem capacidade para tratar de grandes quantidades de dados em tempo real. O servidor de buscas distribuído é baseado em Apache Lucene e desenvolvido em Java, utilizando uma interface comum, JSON sobre https. Entre as principais vantagens da engine de pesquisa full-text estão a disponibilidade de dados em tempo real (near-realtime), a alta disponibilidade para tratar grandes volumes de dados e armazenamento de dados em forma de documentos. ERP O ERP (enterprise resource planning – planejamento de recursos da empresa) é um sistema de gestão empresarial. Sua função é unificar os sistemas de diversas áreas da empresa, por exemplo, ao invés de cada área utilizar um sistema diferente de gerenciamento de suas atividades, uma solução de ERP é capaz de unificar estas informações, tornando os departamentos integrados. ETHERNET É um protocolo de conexão para redes locais (LAN) com base no envio de pacotes. FIREWALL O firewall é um dispositivo de uma rede de computadores que tem por objetivo aplicar uma política de segurança a um determinado ponto da rede. FAQ FAQ (frequently asked questions) é a lista de perguntas e respostas mais freqüentes feitas pelos internautas. FTE O FTE (full-time equivalent – equivalente a tempo completo) é um método de mensuração do grau de envolvimento de um colaborador nas atividades de uma organização ou unicamente em um determinado projeto. FTP O FTP (file transfer protocol – protocolo de transferência de arquivos) é uma forma rápida e simples de transferência de arquivos na internet. Pode representar tanto o computador que transfere o arquivo quanto o servidor FTP. GATEWAY Computador que interliga duas ou mais redes que usem protocolos de comunicação internos diferentes. HOTSPOT Hotspot é o nome dado ao local onde a tecnologia wi-fi está disponível. São encontrados geralmente em locais públicos como cafés, restaurantes, hotéis e aeroportos onde é possível conectar-se à internet utilizando qualquer dispositivo que esteja preparado para se comunicar em uma rede sem fio do tipo wi-fi. HTML O HMTL (hyper text markup language) é a linguagem de marcação mais popular na internet. https O https (hypertext transfer protocol – protocolo de transferência de hipertexto) é um protocolo de comunicação que decide como dois computadores ou programas transmitirão dados na Internet. Normalmente, o https utiliza a porta 80 se comunicando na linguagem HTML. https O https (hypertext transfer protocol secure – protocolo seguro de transferência de hipertexto ) é uma implementação do protocolo https sobre uma camada adicional de segurança que utiliza o protocolo SSL/TLS (protocolos de segurança que protegem as telecomunicações via internet para serviços de transferência de dados.). Essa camada adicional permite que os dados sejam transmitidos por meio de uma conexão criptografada e que se verifique a autenticidade do servidor e do cliente por meio de certificados digitais. HUB O hub é a denominação dada ao equipamento para onde convergem dados que chegam de uma ou várias fontes e seguem para um ou vários destinos, dependendo do tipo e do comando recebido. Pode incluir uma switch e um roteador. IAAS IaaS (infrastructure as a service – infraestrutura como serviço) é uma modalidade onde o cliente contrata a infraestrutura como serviço, ou seja, contrata servidores virtuais ao invés de servidores físicos. INTRANET A intranet é a rede interna de computadores de uma empresa. I&O O termo I&O (infrastructure & operations) designa os profissionais das áreas de infraestrutura e operações. IOBVD IOBVD (infrastructure & operations business value dashboards). Diferentemente dos sistemas tradicionais utilizados pelos profissionais de TI e I&O, que se concentram apenas em exibir resultados operacionais, o IOBVD consegue cruzar essas informações com dados financeiros, comerciais, logísticos e de diferentes áreas e apresentar um resultado que indique, por exemplo, qual foi o impacto no faturamento gerado pela indisponibilidade de uma determinada aplicação. Ou, em uma visão orientada à vendas, a partir de uma queda nos resultados das vendas online descobrir se a causa-raíz deste problema está na diminuição da demanda ou é originada de um problema na operação ou de infraestrutura de TI. IOT Internet of things (IOT) ou internet das coisas é o termo utilizado para a conexão de basicamente qualquer coisa à internet, seja ela um eletrodoméstico, dispositivo, tênis, enfim, qualquer coisa. ITIL ITIL (information technology infrastructure library – biblioteca de infraestrutura de TI) é um conjunto de melhores práticas para gerenciar os serviços de TI. IP e IPv6 O IP (internet protocol – protocolo de internet) é um endereço único que diferencia cada dispositivo conectado à internet. O IPv6 é a versão mais atualizada do IP, e possui mais números e protocolos. Surgiu para substituir gradativamente o IPv4, que já não suporta mais o cenário atual de IPs. JAVA Java é uma linguagem de programação interpretada orientada a objetos. Diferente das linguagens de programação convencionais, que são compiladas para código nativo, é compilada para um bytecode (código de um programa escrito na linguagem Java) que é executado por uma máquina virtual (JVMs). JBOSS JBoss é um servidor de aplicação de código fonte aberto baseado na plataforma JEE (Java Enterprise Edition) e implementado completamente na linguagem de programação Java. LAN A LAN (local area network – rede de área local) é uma rede local que tem por finalidade a troca de dados dentro um mesmo espaço físico. O limitador da rede LAN é uma faixa de IP restrita à mesma, com uma máscara de rede comum. LAAS LaaS (license as a service – licença como serviço) é uma modalidade de comercialização onde o cliente adquire em definitivo as licenças de determinado software. OCR O OCR (optical character recognition) é um programa utilizado para reconhecer textos existentes em documentos digitalizados, tornando a informação disponível para ser utilizada. M2M O M2M (machine to machine – máquina à máquina) é a tecnologia que permite que qualquer objeto transmita dados através de um sensor. Esse sensor captura dados como geolocalização, temperatura, e outros, e os envia por meio de uma rede a um software. MAINFRAME É um computador de grande porte, com foco no processamento de um grande volume de informações. MARIADB O MariaDB é um banco de dados ramificado do MySQL. Após a aquisição do MySQL pela Oracle o seu desenvolvedor criou o MariaDB para manter a alta fidelidade ao MySQL. MySQL O MySQL é um SGBD (sistema de gestão de banco de dados) que utiliza a linguagem SQL como interface. MS SQL O Microsoft SQL Server é um SGDB desenvolvido pela Microsoft. Sua principal função é a de armazenar e recuperar dados solicitados por outras aplicações de software, sejam aqueles no mesmo computador ou aqueles em execução em outro computador através de uma rede (incluindo a Internet). MTTR e MTBF O MTTR (mean time to repair – tempo médio para reparo) é a média de tempo que se leva para executar um reparo após a ocorrência da falha. Ou seja, é o tempo gasto durante a intervenção em um determinado processo. O MTBF (mean time between failures – tempo médio entre falhas) é uma métrica que diz respeito à média de tempo decorrido entre uma falha e a próxima vez que ela ocorrerá. Esses lapsos de tempo podem ser calculados por meio de uma formula que não irei especificar aqui, só jogar no google! NETFLOW A partir de sua instalação no roteador Cisco, o NetFlow passa a identificar os pacotes de dados não mais isoladamente, como outras tecnologias, mas como fluxos com início, meio e fim. Quando os fluxos são identificados, eles são armazenados no NetFlow Cache para caracterização e compreensão do tráfego da rede. Após 30 minutos são apagados da memória. NFC A NFC foi criada por meio de um consórcio de gigantes da tecnologia: LG, Motorola, Samsung, Huawei, HTC, Google, Visa, Microsoft e Intel. Os celulares compatíveis com essa tecnologia possuem um chip na parte traseira do aparelho que estabelece a comunicação com outros aparelhos que possuem um chip equipado com a NFC. A NFC permite conexões rápidas em uma curta distância. Por isso, a transmissão de arquivos grandes não é ainda o objetivo dessa tecnologia. Essa tecnologia é baseada em uma já bastante difundida pelo mundo, a RFID (radio frequency identification – identificação por radiofrequência). ORACLE O Oracle é um SGBD (sistema de gestão de banco de dados) escrito em linguagem C e disponível em diversas plataformas materiais. P2P O P2P (peer to peer – ponto a ponto ou par a par) é uma arquitetura de redes de computadores onde cada um dos pontos ou nós da rede funciona tanto como cliente quanto como servidor, permitindo compartilhamentos de serviços e dados sem a necessidade de um servidor central. PDF PDF (portable document format) significa formato de documento portátil. QUERY Query é o processo de extração de dados de um banco de dados e sua apresentação em uma forma adequada ao uso. RACK Local físico onde se monta um conjunto de equipamentos relacionados, como servidores, roteadores, switches, etc. ROI O ROI (return on investment – retorno sobre o investimento) é a mensuração do tempo necessário para retornar o valor investido na aquisição de novas soluções tecnológicas. SAAS SaaS (software as a service – software como serviço) é uma forma de comercialização de software onde o fornecedor se responsabiliza por toda a estrutura necessária para a disponibilização do sistema. SFLOW O sFlow é uma simplificação do protocolo NetFlow. Sendo também um protocolo e possui o conceito de Probe (agente projetado para coletar informações diretamente de uma rede) e Collector(servidor central que recolhe os datagramas de todos os agentes para armazenar e analisar). SCM O SCM (supply chain management – gerenciamento da cadeia de suprimentos) é uma solução que possibilita à empresa gerenciar a cadeia de suprimentos com maior eficácia e eficiência. Consiste basicamente em todas as partes relacionadas, direta ou indiretamente, na execução do pedido do cliente. SQL SQL (structured query language – linguagem de consulta estruturada) é a linguagem de pesquisa declarativa padrão para banco de dados relacional. SLA Fundamental para qualquer contrato de prestação de serviços na área de TI, o SLA (Service Level Agreement – acordo de nível de serviço, ou ANS) é a especificação, em termos mensuráveis e claros, de todos os serviços que o contratante pode esperar do contratado na relação contratual, bem como termos de compromisso, metas de nível de serviço, suporte técnico, prazos contratuais, dentre outros aspectos. Em outras palavras, é um esclarecimento técnico do contrato. É importante deixar claro que o SLA é um documento exigido em qualquer relação contratual de TI, sendo descrito na ABNT (associação brasileiras de normas técnicas) NBR ISO-IEC 20000-1, e que deve ser revisto periodicamente para que tenha maior efetividade. É apenas com a revisão feita continuamente que o contratante pode ter a garantia de que a empresa de TI oferecerá suporte em todas as etapas do processo que, evidentemente, requerem cuidados e serviços diferenciados. STACK O stack ou empilhamento consiste em dois ou mais switches com o objetivo de gerenciar a rede através de um único endereço IP. TCO O TCO (total cost of ownership – custo total da posse) é a estimativa financeira sobre os custos diretos e indiretos relacionados à aquisição de um software ou hardware, além dos custos envolvidos para mantê-los funcionando depois de adquirido. TCP/IP O TCP/IP é um conjunto de protocolos de comunicação entre computadores em rede. Seu nome vem de dois protocolos: o TCP (transmission control protocol – protocolo de controle de transmissão) e o IP (internet protocol – protocolo de internet). O conjunto de protocolos pode ser visto como um modelo de camadas, onde cada camada é responsável por um grupo de tarefas, fornecendo um conjunto de serviços bem definidos para o protocolo da camada superior. TI e TIC TI (tecnologia da informação) e TIC (tecnologia da informação e comunicação) correspondem a um conjunto de recursos tecnológicos integrados entre si. O TIC consiste em todos os meios técnicos usados para tratar a informação e auxiliar na comunicação, o que inclui hardware e software. UX Também conhecido como user experience ou experiência do usuário, é a preocupação dos designers e desenvolvedores em criar aplicações pensadas na visão e utilização de seus usuários. URL A URL (uniform resource locator – localizador padrão de recursos) refere-se ao endereço de rede no qual se encontra algum recurso informático, como por exemplo um arquivo de computador ou um dispositivo periférico. VM A VM (virtual machine – máquina virtual) consiste em um software de ambiente computacional, que executa programas como um computador real, também chamado de processo de virtualização. VPN VPN (virtual private network – rede privada virtual) é uma rede de comunicação privada. Por fornecerem autenticação e confidencialidade na transmissão de dados, além de protocolos criptografados por tunelamento, as VPNs tornam-se mais seguras e confiáveis nas comunicações. XML O XML (extensible markup language) é uma linguagem de marcação capaz de descrever diversos tipos de dados. É um dos subtipos da SGML (standard generalized markup language) e sua principal finalidade é facilitar o compartilhamento de informações através da internet. Uma das características fundamentais do XML é possibilitar a criação de uma infraestrutura única para diversas linguagens, facilitando a definição de linguagens desconhecidas. WAN A WAN (wide area network – rede de longa distância) é uma rede de computadores que cobre uma área extensa como uma universidade, cidade, estado ou até mesmo um país. WEB WWW (world wide web) ou WEB é a sigla que denomina a rede mundial de computadores ligados em rede. WEBNAR O webnar (ou webinar) é um tipo de conferência web no qual a comunicação é de uma via apenas, ou seja, somente uma pessoa se expressa e as outras assistem. A interação entre os participantes é limitada apenas ao chat, de modo que eles podem conversar entre si ou enviar perguntas ao palestrante. WEBSPHERE WebSphere é o nome de uma família de softwares da IBM para criação e execução de aplicações baseadas no padrão Java J2EE, fornecendo também infraestrutura para integração de aplicações corporativas. Créditos: OP Services (conteúdo) e Ryzen(formatação e imagens)
  18. DUST IIMIRAGENUKECACHEOVERPASSTRAINCOBBLESTONE




×